domingo, 19 de setembro de 2010

Estudo inédito comprova benefícios da pílula contínua

Estudo inédito comprova benefícios da pílula contínua
As mulheres que acham que menstruar é coisa do passado já podem ficar mais tranqüilas. Acaba de ser publicado um estudo brasileiro na revista norte-americana Contraception que comprova que o uso contínuo da pílula anticoncepcional tem os mesmos efeitos na mulher que a pílula tomada com pausa mensal. Segundo o coordenador do estudo, Dr. Rogério Bonassi Machado, alguns médicos acreditavam que o uso contínuo poderia deteriorar o perfil metabólico das usuárias. “O estudo mostrou que não, e confirmou que a pílula contínua se comporta da mesma maneira do que a usada com pausas, podendo ser uma boa alternativa de contracepção”, afirma o médico ginecologista e chefe do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí. Além disso, a taxa de amenorréia (ausência de sangramento) foi crescente a partir do terceiro mês de tratamento, atingindo 81%.

Não é nova a discussão sobre a necessidade da pausa mensal durante o uso de contraceptivos orais combinados. Ela acompanha a pílula desde o início da sua utilização, na década de 60. Muitas mulheres, porém, ainda acreditam que o sangramento tem alguma função, como tentar aproximar ao ciclo menstrual natural, “limpar” o organismo dos hormônios, certificar que não engravidou e prevenir o sangramento inesperado. Segundo o organizador do estudo, porém, “nenhuma dessas razões têm comprovação científica”.

Para as mulheres que consideram o sangramento mensal indesejável, seja por sintomas apresentados nesse período ou até por questões pessoais, a contracepção contínua pode ser uma opção segura, segundo o estudo realizado na Faculdade de Medicina de Jundiaí. Durante a pesquisa, não foram observadas alterações no peso e na pressão arterial das pacientes; houve baixa incidência de efeitos adversos; a taxa de amenorréia (ausência de sangramento) foi crescente a partir do quarto ciclo de observação e atingiu 81% ao final. Houve redução nos níveis de LDL (colesterol ruim) e aumento do HDL (colesterol bom) e triglicerídeos; houve aumento não significativo nos níveis de insulina e manutenção da glicemia. “Em conclusão, pôde-se demonstrar que o uso contínuo da associação etinilestradiol 30 mcg/gestodeno 75mcg, por 24 semanas, associou-se a efeitos clínicos satisfatórios, com manutenção dos níveis pressóricos e do peso corporal; a alterações metabólicas semelhantes às observadas em usuárias de pílulas com pausas mensais e a elevada taxa de amenorréia após o terceiro ciclo de tratamento”, afirma o Dr. Rogério Bonassi.

A pílula de uso contínuo testada no estudo foi o Gestinol 28, produzido pela Libbs Farmacêutica há cerca de três anos. É indicada para mulheres que querem interromper a menstruação por um período determinado ou para tratamento dos sintomas da menstruação, como cólicas muito fortes, enxaqueca e tensão-pré-menstrual. O Dr. Rogério Bonassi explica que “além de evitar a gravidez, a adoção da pílula anticoncepcional de uso contínuo minimiza os incômodos da menstruação e diminui os riscos de doenças como endometriose e câncer de ovário”.

O estudo, denominado “Aspectos clínicos e metabólicos da associação contraceptiva etinilestradiol 30 mcg / gestodeno 75 mcg em uso contínuo”, foi desenvolvido por existirem poucos relatos na literatura científica acerca de parâmetros clínicos e do impacto metabólico em usuárias de pílulas contínuas por longo período. A pesquisa envolveu 45 voluntárias, com idade entre 18 e 35 anos, durante 24 semanas (seis meses), o maior período de estudo realizado com esse método anticoncepcional.

Mais benefícios comprovados - Um outro estudo realizado com o Gestinol 28, apresentado no 8º Congresso da Sociedade Européia de Contracepção em Edimburgo, na Escócia, comprovou mais um benefício deste tipo de medicamento: ele é eficaz na prevenção da endometriose, uma doença que atinge uma em cada dez mulheres no mundo todo. O estudo, realizado no Centro de Pesquisa e Assistência em Reprodução Humana (CEPARH), em Salvador (BA), mostrou que 38% das mulheres operadas de endometriose que não utilizaram o contraceptivo voltaram a apresentar cistos endometrióticos, enquanto no grupo tratado com Gestinol 28 não houve nenhuma recorrência. O estudo prova que é possível tratar as dores e prevenir a recorrência da endometriose a partir de um método simples, barato e com poucos efeitos colaterais.

Para as mulheres que sofrem com as indesejáveis cólicas menstruais, a pílula anticoncepcional de uso contínuo também pode ser uma boa opção de tratamento. Sua eficácia foi comprovada em outro estudo clínico, também realizado no Centro de Pesquisa e Assistência em Reprodução Humana (CEPARH), em Salvador (BA). O coordenador do estudo, Dr. Hugo Maia Filho, professor do Departamento de Ginecologia da Faculdade de Medicina da UFBA (Universidade Federal da Bahia) e diretor de pesquisas do CEPARH, explica: “O uso de anticoncepcionais orais bloqueiam o ciclo hormonal natural e a ovulação, o que impede a produção excessiva das prostaglandinas. Esta substancia, produzida pelo endométrio (parte interna do útero que se descama durante a menstruação), a partir do estímulo dos hormônios ovarianos, em excesso, está relacionada com o aparecimento das cólicas menstruais dolorosas”. O estudo revelou que o uso contínuo da pílula Gestinol 28 (gestodeno associado ao etinilestradiol) reduz em mais de 80% os níveis de prostaglandinas no sangue menstrual, comprovando sua eficácia no tratamento das cólicas.

5 comentários:

Anônimo disse...

O que acontece qdo a mulher se sente mal, ao tomar o gestinol 28??? e qdo a mulher retem muito liquido e seu corpo fica muito inchado???

Nandhara disse...

Anonimo, procure um ginecologista provavelmente ele irá trocar o gestinol por outro anticoncepcional que você se adapte melhor.Nem todas as mulheres se adaptam com o mesmo anticoncepcional.
bjs
Nandhara

Anônimo disse...

O gestinol 28 da muitos efeitos colaterais, é normal, enjoo, acaba acontecendo o spotting ( aquele sangramento, escuro, parecido com final de ciclo) mas após os 3 meses de insistencia, isso desaparece, tomo o gestinol a mais de 2 anos, nao tenho mais tpm, nem algo do tipo! as colicas que me aparecem de vez em nunca, mas nem se comparam ao passado.
Acredito que minhas colicas devem ser cronicas, pois, segundo minha mae, desde bebe, as tenho.
Bom, o gestinol, pelo menos em mim, deu super certo! Fora a menstruação que nao me assola mais... rs
Eu recomendo! nada de irritação, nada de dores no corpo ou cabeça.... tudo de bom

Nandhara disse...

Olá Anonimo 23/08 eu tomei gestinol por mais de 2 anos e pra mim foi muito bom também, agora que estou amamentando tenho que tomar cerazette, mas quando eu parar de amamentar voltarei para o gestinol, segundo uma médica do hospital pérola byngthon é uma excelente pílula para quem tem miomas, mas é importante não se automedicar, é sempre necessário acompanhar com um bom gineco, pois acredito que cada caso é um caso.
Bjs
Nandhara

Anônimo disse...

Nandhara queria muito que voçe mi add no msn, queria muito poder conversar com vc quando fosse possivél, eu sofro com Sop,gosto de conversar com pessoas que como eu sofrem com esse problema, o seu Problema é diferente do meu, amis lutava pelo o mesmo que estou lutando hoje né? Meu msn é fran_morena_19@hotmail.com ORKUT morena2009_19@hotmail.com oi amigas quem quizer também pode mi adicionar pode mi add ai nesse emdereço, vai ser muito bom compartilhar conversar com todos vcs...